Marcelo Rech alerta para a violência contra jornalistas

Marcelo Rech, presidente da Associação Nacional de Jornais (ANJ) e vice-presidente editorial do Grupo RBS participou do painel sobre “Liberdade de Imprensa”, da Semana Hipólito José da Costa, no Espaço de Convergência da Assembleia Legislativa, nesta sexta-feira (7/6).

Rech iniciou sua palestra falando da recorrente violência contra os jornalistas, no Brasil e no mundo, classificando-as em formas diversas como assassinatos, aprisionamento, linchamento digital e desinformação, além da chamada “erosão” econômica, verificada em veículos tradicionais e responsável por incertezas da profissão. “Todo este quadro resulta na violência que atinge jornalistas e contribui para um cenário de desinformação”, representado pelo já desgastado termo “fake news”, destacou.

Para Rech, “a desinformação e a erosão das empresas prejudicam a liberdade de imprensa”. Nos Estados Unidos já fecharam 1.500 jornais. “A produção de conteúdo é afetada e o uso indiscriminado das redes sociais para caluniar e difamar contribuem para um deserto de notícias”, afirmou.

Rech espera que a nova diretiva de copyright, votada recentemente pela União Europeia, regule o pagamento da produção de conteúdo, com a remuneração dos jornalistas pelas plataformas digitais. ” A diretiva europeia estabelece que, dentro de dois anos, todos os países europeus devem implementar legislação que passe a remunerar o trabalho intelectual do jornalista a exemplo do Ecad – Escritório Central de Arrecadação (órgão privado para arrecadar os direitos autorais de cada música tocada).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *