Painel Eleitoral entrevista Julio Flores e Roberto Robaina, candidatos a governador

Júlio Flores, do PSTU

A Associação Riograndense de Imprensa realizou o primeiro encontro do Painel Eleitoral ARI 2018. Nesta terça-feira, 7, os convidados foram Julio Flores, do PSTU, que, aos 59 anos, disputará a 12ª eleição pelo partido e Roberto Robaina, do Psol, que aos 50 anos se candidata, pela terceira vez, ao Governo do Estado, após ser eleito vereador em Porto Alegre na última eleição municipal. Flores falou às 10h e Robaina às 13h.

O encontro foi conduzido pela jornalista Edieni Ferigollo e contou com a presença dos repórteres Filipe Peixoto, da Band, e Ana Aguiar, da rádio Grenal, que entrevistaram o candidato do PSTU e Ayres Cerutti da Revista Programa e da ARI, juntamente com o diretor de jornalismo da RDCTV Fabio Berti, para questionar Roberto Robaina, do Psol.

Na abertura, o presidente da associação Luiz Adolfo Lino de Souza saudou a todos desejando que “o evento sirva para a discussão de temas significativos para o Estado, pois esse é o objetivo da ARI, trazer conteúdos em suas palestras que sejam relevantes para solucionar problemas da sociedade”.

Durante a entrevista, foram abordados cinco temas relacionados à administração como finanças públicas, saúde, segurança, educação e comunicação. Em seu discurso, Julio Flores fez críticas a diversos pré-candidatos e defendeu a participação dos trabalhadores na administração do Estado. “Queremos fazer isso através de um governo dos servidores. Precisamos de mudanças profundas e que a classe se mobilize para isso”, disse.

O candidato também defendeu medidas como reforma agrária no Rio Grande do Sul, redução da jornada de trabalho e suspensão do pagamento da dívida pública com a União. “Queremos paralisar os pagamentos das despesas tanto do Estado quanto do governo e acabar com as isenções fiscais a grandes empresas capitalistas”, declarou.

Já o candidato Roberto Robaina iniciou sua fala dizendo que vai procurar gerar receitas para o Estado poder pagar em dia seus servidores. Na área da segurança sua preocupação será com o combate ao feminicídio, bem como a latrocínios. “Não se pode mais tratar a questão das drogas como caso de polícia”, alertou. Para ele a criminalidade é causada por falhas de vários setores, especialmente do Governo Federal, e do descaso com a educação e cultura. Concluiu dizendo que não pretende fazer alianças com partidos tradicionais. Seu primeiro ato, se eleito governador, será chamar a sociedade para discutir as políticas de governo. “Vou discutir com a sociedade as primeiras ações”, afirmou o candidato.

O Painel Eleitoral ARI segue na quarta (8/8) com o candidato Jairo Jorge do PDT, às 10h na ARI

A Agência Filtro Fact-checking está realizando o trabalho de checagem de declarações dos pré-candidatos. O resultado poderá ser conferido no site https://pensamento.org/filtro/, no dia seguinte às entrevistas. (em colaboração com Coletiva.net)

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *